(Crise no governo) – BOLSONARO CONTRARIA MORO E NÃO VETA FIM DO VOTO DE QUALIDADE NO CARF

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

‘Proposta enfraquece as ações da Administração Tributária, do Poder Judiciário e do Ministério Público no combate à corrupção’, diz documento assinado por Moro.

Acaba de ser publicada uma edição extra do Diário Oficial, em que Jair Bolsonaro sancionou a lei 13.988, aprovada pelo Congresso a partir da Medida Provisória 899, conhecida como MP do Contribuinte Legal. O presidente não vetou o fim do chamado voto de qualidade.

Também conhecido como voto de Minerva, no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), o voto servia em caso de empate de votos no julgamento de processo administrativo que discuta crédito tributário, e cabia ao conselheiro presidente, sempre um representante da Fazenda Nacional.

O novo regramento estabelece os requisitos e as condições para que a União e os devedores ou as partes adversas realizem transação resolutiva de litígio.

O Ministério da Justiça e da Segurança Pública havia divulgado na sexta-feira 3 um parecer criticando o fim do voto de qualidade.

O documento assinado por Moro afirmava que o fim do voto especial é inconstitucional e que poderá ter impacto no combate ao crime.

“A proposta enfraquece as ações da Administração Tributária, do Poder Judiciário e do Ministério Público no combate à corrupção e aos crimes contra a ordem tributária. Em ênfase, o CARF julgou, até meados de janeiro deste ano, 14 processos da Operação da Lava Jato em que houve decisão a favor da Fazenda por voto de qualidade, totalizando R$ 1,09 bilhão. Desses, em 12 processos há representação fiscal para fins penais, que teriam seu seguimento interrompido (obstaculizada, portanto, a subsequente persecução penal) se esvesse em vigor a regra que concede ao contribuinte a vitória em caso de empate”, diz trecho do parecer.

Globo.com

Lapa FM 104,9

 

Youtube

Nosso Parceiros

 
uniftc

Anuncie

Seja nosso parceiro, anuncie aqui!
Promoção
educa-mais-brasil

Sigam