(Bahia) – Arthur Rezende revela que treinou faltas de onde garantiu vitória no Ba-Vi: “Bola parada define jogo”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Autor de gol no último lance do jogo contra o Vitória, meia conta que conheceu história de Raudinei através de mensagens de torcedores do Bahia

Depois que a bola saiu do pé direito de Arthur Rezende e lambeu a rede do goleiro Lucas Arcanjo, quem poderá negar que a prática leva à perfeição, justamente como rege o dito popular? Durante a semana de treinamentos e no dia em que antecedeu o clássico contra o Vitória, o meia do Bahia havia praticado muitas cobranças de falta. A maioria delas exatamente da posição de onde ele garantiu o triunfo da equipe de aspirantes do Bahia por 2 a 1 no Ba-Vi disputado no último domingo, no Barradão.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, o jogador de 25 anos confirmou o que Dado Cavalcanti havia dito em entrevista coletiva: em vez de atividades que exigiam mais da musculatura, o meia investiu em gestos técnicos, como cobranças de faltas.

– Treinei bastante. A maioria das bolas foi daquela posição. Trabalhei bastante naquela posição. No jogo, tive a felicidade de sofrer a falta naquele mesmo lugar e poder cobrar bem – afirmou.

A gente está sempre treinando, mas quanto mais perto do jogo, melhor, para poder encaixar a batida. No dia anterior, treinei muito essa bola parada, essa cobrança de falta e pude ser feliz, fazer o gol e conseguir o triunfo.

O aproveitamento, segundo Arthur Rezende, foi positivo, tanto que Dado elogiou sua bola parada na preleção da equipe.

– O aproveitamento tinha sido bom. Dado até elogiou na preleção, falou que a bola parada estava muito boa. No jogo, pude concluir bem – disse.

A bola parada foi um recurso utilizado pelo Bahia para vencer um jogo duro, equilibrado, em que o rival teve as melhores chances de colocar a bola na rede. Acostumado a sair trocando passes desde a defesa, a equipe de Dado Cavalcanti sofreu com a marcação alta do Vitória e passou sufoco em alguns momentos.

lém do golaço de falta (veja no vídeo acima), Arthur Rezende também foi o responsável pela cobrança de escanteio que originou o gol do zagueiro Anderson.

– Hoje, a bola parada define jogo, ainda mais clássicos, esses jogos mais truncados. É de uma importância muito grande. Nossa equipe não conseguiu encaixar a forma de jogo que a gente vinha tendo, mas acredito que a gente fez uma partida consistente, segura e fomos felizes de definir na bola parada – explicou o meia.

Arthur Rezende comemora gol do Bahia diante do Vitória — Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC BahiaArthur Rezende comemora gol do Bahia diante do Vitória — Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia

Arthur Rezende comemora gol do Bahia diante do Vitória — Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia

Arthur Rezende garantiu o resultado para o Bahia, literalmente, no último lance do jogo, tanto que o árbitro encerrou a partida no momento em que os jogadores ainda comemoravam o lance. É claro que isso reacendeu a mística da equipe tricolor, afeita a gols nos últimos minutos dos jogos.

E o mais famoso gol marcado no apagar das luzes foi justamente em um Ba-Vi, o de Raudinei, que garantiu o título baiano de 94. Arthur Rezende não conhecia essa história até a tarde de ontem, quando foi alertado por torcedores tricolores sobre o feito.

– Não conhecia, mas fiquei conhecendo ontem depois que fiz o gol. Muita gente comentou, falou comigo. Fiquei conhecendo ontem depois que fiz o gol – contou.

Arthur Rezende volta a campo com a equipe de transição do Bahia somente no próximo domingo, quando a equipe enfrenta o Doce Mel, na Fonte Nova, pela 7ª rodada do Campeonato Baiano.

Confira outros trechos da entrevista com Arthur Rezende.

Dificuldades no clássico
– Não foi nem a dificuldade que eu senti, mas da equipe. A gente não conseguiu encaixar a saída de bola que a gente vinha tendo pelo lado direito. No começo, estava tendo um pouco de dificuldade para a gente poder sair. No final do primeiro tempo, passei para o lado esquerdo, e as coisas começaram a fluir, saímos mais jogando. No segundo tempo, melhorou, nossa equipe começou a sair jogando mais, principalmente do meio do segundo tempo para frente e conseguimos encaixar e equilibrar o jogo.

Dicas para os mais jovens
– Sim, estou sempre conversando com eles antes dos jogos, durante os jogos. Falo bastante. Sempre bom passar tranquilidade e deixar todos de cabeça tranquila para fazer um bom jogo

Time A x time B
– Tive algumas conversas. O grupo A e o grupo B estão bem próximos, sempre treinando junto, conversando. Acho que é uma forma que o clube fez para aproximar mais, treinar no mesmo horário. Tem bastante contato. Sempre tem conversado para no momento certo a gente estar bem preparado.

Vai para o time A?
– A intenção é essa. Não só minha, mas de todos que estão trabalhando forte para conquistar o espaço na equipe de Roger.

Gol de Raudinei
– Recebi bastante mensagens. Teve a história do Raudinei, nesse campeonato a gente conseguiu um gol no último minuto, no clássico também, todos falam que o Bahia é isso aí, que não pode desistir até o último minuto.

Fonte: Globoesporte/Ba

Lapa FM 104,9

 

Youtube

Nosso Parceiros

 
uniftc

Anuncie

Seja nosso parceiro, anuncie aqui!
Promoção
educa-mais-brasil

Sigam